quarta-feira, 2 de março de 2011

Cultura de Massa

“E meus amigos parecem ter medo
De quem fala o que sentiu
De quem pensa diferente
Nos querem todos iguais
Assim é bem mais fácil nos controlar
E mentir, mentir, mentir
E matar, matar, matar...”

    É com este trecho da música “Aloha” da Legião Urbana que início esta postagem pra falar sobre cultura de massas e a industrialização da cultura.
    A cultura de massa é o produto da indústria cultural (tvs, rádios, jornais, revistas, internet). Com seus produtos a indústria cultural pratica o reforço das normas sociais, repetidas até a exaustão sem discussão. Em consequência, uma outra função: a de promover o conformismo social.
    A cultura de massa é uma cultura que tem como objetivo fazer com que as pessoas passem a gostar das mesmas coisas. Um dos principais fatores responsável pela existência da cultura de massa é a mídia com todos os seus programas de “altíssima” qualidade desenvolvidos para entreter a grande maioria da população.

Indústria Cultural: A cultura como mercadoria.
    A indústria cultural pode ser definida como o conjunto de meios de comunicação como o cinema, o rádio, a televisão, os jornais, as revistas, a internet, que formam um sistema poderoso para gerar lucros. Por serem acessíveis às massas, exercem um tipo de manipulação e controle social.
    Adorno e Horkheimer foram dois teóricos que criaram o conceito de indústria cultural. Eles defenderam que o desenvolvimento da comunicação de massa teve um impacto fundamental sobre a natureza da cultura e da ideologia nas sociedades modernas. Adorno e Horkheimer analisam a produção industrial dos bens culturais como um movimento global de produção da cultura como mercadoria, ou seja, a mercantilização das formas culturais.
    Adorno e Horkheimer discutiram os filmes, o rádio, a TV, a música popular, as revistas e os jornais argumentando que o surgimento das indústrias de entretenimento como empresas capitalistas resultaram da padronização e na racionalização das formas culturais e esse processo atrofiou a capacidade do indivíduo de pensar e agir de uma maneira crítica e autônoma.
    Os produtos culturais são entendidos como produtos feitos para impedir a atividade mental do espectador. Portanto, são vistos como produtos alienantes. Através desse entendimento dos produtos culturais, a indústria cultural anula toda a individualidade, ou seja, ela transforma as pessoas, faz com que elas tenham a mesma ideologia deixando-as iguais.
    A principal forma cultural construída por essas indústrias é a televisão, que ensina e informa indivíduos cada vez mais cedo. Nela pode se observar diferentes temas e culturas expostas a qualquer horário e idade. Os conteúdos nela existente são capazes de alienar uma pessoa, levando-a a pensar e agir como lhe é proposto sem qualquer tipo de argumentação.
    A indústria cultural exerce sobre o humano um poder estruturante e reorganizador. A mercadoria passa a dominar tudo. As pessoas cada vez mais são modeladas de acordo com o estabelecido pela indústria cultural.


video

O que é a felicidade?
Será que abrir uma Coca-Cola é abrir a felicidade?
Se for, “abra a felicidade você também”.
E para concluir, cabe ainda a reflexão de mais duas músicas:
- “Geração Coca-Cola” da Legião Urbana.
- “Admirável Gado Novo” de Zé Ramalho.

Força Sempre.

4 comentários:

  1. Concordo!

    Uma modinha que anda circulando entre muitas adolescentes é uma tira de 'não-sei-o-que' com uma flor artificial que coloca na cabeça como se fosse uma 'coroa'. Tal acessório virou sensação depois que uma integrante do programa "A Fazenda" ser vista usando-o inúmeras vezes; sem falar num arranjo de flor para usar também na cabeça, onde uma criatura (que nem lembro o nome) usava constantemente, no "Big Brother Brasil".

    "Atitude não se compra. Não se come, não se veste. Atitude não se assiste. Não se ouve, não se investe" (Os Seminovos)

    ResponderExcluir
  2. Oi td bem?
    Me chamo Haullen, sou formado em educação fisica, mas ministro aulas de filosofia e sou apaixonado pelo assunto, achei interessante seu texto sobre o Pequeno Principe, e gostaria de saber em que assunto da filosofia escolar(da matriz curricular)eu poderia encaixar o livro para trabalhar com os alunos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Haullen!
    Já lhe enviei um e-mail com algumas indicações.
    Mandei também alguns outros contatos para facilitar a comunicação.
    Força Sempre =D

    ResponderExcluir